O tempo da Comunicação
23/04/2020 13:31 em Nacional

Redes Sociais e emissoras de rádio integram a comunicação de uma Igreja em rede, nas infovias e nas famílias. Em Campos dos Goytacazes ( RJ), Bispos e Padres da Diocese e Administração Apostólica Pessoal São João Maria Vianey continuam em oração pelos fieis que estão reunidos nas casas e participando das missas e orações pelas Redes Sociais. E neste tempo de preservação da Missão Evangelizadora o que destaca é a criatividade pastoral.

O Bispo Diocesano de Campos, Dom Roberto Francisco Ferreria Paz tem interagido com fieis através de mensagens por ocasião de aniversários. Diariamente participa da programação da Rádio Aliança e na Rede Vida de Televisão destacando assuntos importantes neste tempo de distanciamento social. Além das Santas Missas celebradas na Catedral Basílica Menor do Santíssimo Salvador e na Sede da Mitra Diocesana com transmissão pelas Redes Sociais. Dom Roberto tem destacado que o uso das Redes Sociais não representa que a Igreja seja uma realidade virtual, mas o uso dos modernos recursos da cultura digital e destaca a importante da construção de uma igreja articulada, de portas abertas para a realidade e as famílias e para o povo.

 – Temos de caminhar para ser uma igreja que convive com as mídias por ter conteúdos que passam valores e ser protagonista do mundo que é uma aldeia global.  Ser uma igreja que promove a comunhão e a comunicação que bem do Senhor Ressuscitado. – disse Dom Roberto.

A liturgia perdeu no sentido de ritualidade sem perder o sentido de comunicação que para os cristãos é a noticia que o Verbo se fez carne e que veio habitar no meio da humanidade e usa a língua que deve ser usada e das redes sociais. – destaca Dom Roberto.

– Se as redes sociais se tornam essa ambiência cristã e propicia para semear a Palavra que é ponte e canal e infovia evangelizadora. Esta Semana Santa foi um avanço para a Igreja e muitas vezes aquilo que considerávamos um empecilho, um obstáculo para a evangelização se torna uma catapulta, uma alavanca que nos lança a águas mais profundas. Que este aprendizado de buscar novas conexões e sermos uma igreja interligada e sermos uma igreja que é rede de famílias e se perlongue e ao vencer as ameaças neste tempo de Coronavirus possamos ocupar espaços maiores que possam proporcionar a certeza da catolicidade do mundo unido, fraterno e que possa construir a civilização do amor. O Cristo Ressuscitado que ascende aos céus e o Cristo que comunica e entra em comunhão com todas as coisas e todas as pessoas. – conclui o bispo.

“Mas em breve, esperamos e por isso rezamos as Missas com o povo voltarão.” Dom Fernando Rifan.

O Bispo da Administração Apostólica Pessoal São João Maria Vianey, Dom Fernando Áreas Rifam destaca que o fato de não haver ainda Missas com assistência do povo é um ato de caridade para com os idosos e pessoas vulneráveis. O Bispo e os padres não abandonaram os fiéis: rezam por eles todos os dias nas Santas Missas, Rosários e demais orações, que estão sendo transmitidas pelas redes sociais. Mas em breve as Missas com o povo voltarão. Já houve períodos na Igreja, como nos tempos de guerra e perseguição, em que não houve Missas com o povo. Nem por isso os fiéis perderam a fé, ao contrário, ficaram mais fervorosos. Unidos cada vez mais em Deus e na Igreja.

– E é em atenção a eles e em seu benefício que estão evitando aglomerações, como também pedem as autoridades civis e sanitárias. A Igreja doméstica cresceu e ficou mais fervorosa, como nos tempos de perseguição. E muitas das nossas Igrejas estão abertas para, sem aglomerações, os fiéis rezarem e se confessarem. E os padres fora do grupo de risco estão à disposição para dar os sacramentos aos doentes graves. – disse Dom Fernando.

Ricardo Gomes (Diocese de Campos/ Regional Leste I)

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!
PUBLICIDADE